quinta-feira, 26 de março de 2020

Coronavoucher para trabalhador informal será de R$ 600 por mês

Os trabalhadores autônomos receberão auxílio de R$ 600 por mês durante a crise decorrente da pandemia de covid-19. O anúncio foi feito na noite desta 5ª feira (26.mar.2020) pelo governo federal, que disse ter fechado acordo com o Congresso Nacional.
De acordo com nota (leia abaixo) distribuída pela Secretaria Especial de Comunicação Social, a medida irá beneficiar 24 milhões de brasileiros. O ‘voucher’ deve ser distribuído pelo período de 3 meses.
Parte inferior do formulário
A proposta foi aprovada pela Câmara dos Deputados já na noite desta 5ª feira (26.mar). Depois, seguirá para o Senado Federal.
É mais uma iniciativa conjunta do Executivo com o Legislativo para minimizar os danos sociais provocados pela coronavírus e com a necessária segurança jurídica. É uma demonstração cabal do bom relacionamento entre os dois Poderes da República para encontrar soluções imediatas que afligem a população brasileira“, destacou o Planalto.
Inicialmente, a ajuda aos trabalhadores informais durante o período de paralisia da economia por conta de medidas de isolamento social seria de R$ 200. O presidente Jair Bolsonaro disse em sua transmissão ao vivo no Facebook nesta 5ª feira (26.mar) que conversou com o ministro da Economia, Paulo Guedes, para aumentar o valor, chegando aos R$ 600.
Aquela ajuda inicial para os informais, de R$ 200, era muito pouco. Ele [Guedes] sabe que R$ 200 é pouco e R$ 600 dá uma ajuda para quem perdeu o emprego”, disse.
EIS A NOTA DA SECOM:
O Governo Federal fechou uma proposta com o Congresso Nacional e definiu em R$ 600,00 o valor a ser pago aos trabalhadores que estão na informalidade durante a crise causada pelo coronavírus.
O valor proposto pelo presidente Jair Bolsonaro e pelo Congresso deverá beneficiar mais de 24 milhões de brasileiros. A medida foi incorporada no Projeto de Lei nº 9.236/17 e foi votada nesta quinta-feira (26) na Câmara dos Deputados. Depois, seguirá para o Senado Federal.
É mais uma iniciativa conjunta do Executivo com o Legislativo para minimizar os danos sociais provocados pela coronavírus e com a necessária segurança jurídica. É uma demonstração cabal do bom relacionamento entre os dois Poderes da República para encontrar soluções imediatas que afligem a população brasileira.
Essa é a determinação do presidente Jair Bolsonaro, que vem priorizando a proteção dos mais vulneráveis, contando, para isso, com os esforços da equipe econômica.
Apesar do momento fiscal delicado enfrentado pelo País, o governo reafirma, mais uma vez, que não poupará esforços para manter o sustento das famílias brasileiras, especialmente as mais carentes.

Poder 360

Nenhum comentário:

Postar um comentário